As mulheres e os homens que dedicam o seu tempo ao cuidado de uma pessoa dependente (temporária ou permanente) são as pessoas que prestam o apoio necessário à satisfação das necessidades básicas da vida quotidiana da pessoa que cuidam.

 

 

A atividade desempenhada pelos cuidadores é complicada e difícil, pois na maioria das vezes envolve colocar o cuidado da pessoa dependente à frente da sua vida familiar e pessoal. Embora as tarefas possam, por vezes, ser compartilhadas entre vários membros da família, o fardo e a responsabilidade dos cuidados, habitualmente recaem sobre o cuidador ou cuidador principal.

 

 

Recomendações

 

Os cuidadores devem ter à sua disposição todo o apoio necessário para a promoção da sua saúde, e poder identificar e responder primeiramente às suas próprias necessidades, bem como lidar emocionalmente com os problemas e dificuldades do dia a dia que surgem em resultado tarefa que desenvolvem. Para tal é necessário ter conhecimento adequado sobre a situação da pessoa dependente e como prestar cuidados sem afetar a sua saúde física e mental e a sua autonomia a longo prazo.

 

 

Por isso, enquanto cuidador/a tenha em consideração as seguintes recomendações:

 

  • Primeiro, esteja ciente da importância do trabalho que abraçou e admita que está a fazer aquilo que é humanamente possível;
  • Partilhe a responsabilidade com a pessoa dependente incentivando o autocuidado e diga NÃO às suas exigências excessivas;
  • Aceite toda a ajuda que tiver à sua disposição e admita que tem o direito de cometer erros não se culpando por isso;
  • Sempre que possível, partilhe os cuidados com outras pessoas e procure ajuda de familiares, amigos, serviços públicos ou privados;
  • É importante que reserve um tempo para sua própria preparação física e mental;
  • Dedique mais tempo a si própria(o) fazendo coisas que gosta como ler, ouvir música, caminhar, descansar ou relaxar;
  • Tenha em atenção às suas necessidades e cuide da sua saúde: durma 8 horas, exercite-se regularmente, evite o isolamento, …
  • Organize seu tempo, planeando os cuidados e compartilhe as tarefas que tem de executar;
  • Mantenha contato com seus amigos e promova as relações familiares com seu parceiro, filhos, etc.

 

Sentimentos do(a) cuidador(a): está a afetá-lo(a) psicologicamente ou socialmente?

 

Sinais de alerta:

 

Cuidar de uma pessoa dependente tem impacto no estado emocional dos cuidadores. Quando suas próprias necessidades não são atendidas ou sua autonomia é perdida e há excesso de responsabilidade, os cuidadores podem ver afetado o seu bem-estar emocional e apresentar os seguintes sintomas mentais e sociais:

  • Tristeza
  • Fadiga emocional
  • Irritabilidade
  • Desleixo do seu cuidado pessoal
  • Sentimentos de culpa
  • Rejeição da pessoa dependente com distanciamento emocional
  • Atitude negativa em relação ao cuidado, ao próprio trabalho e a si mesmo
  • Isolamento e solidão, perda de tempo para lazer individual e partilhado.

 

Em resultado, sua qualidade de vida pode diminuir e inclusive adoecer. Certos mecanismos de defesa podem aparecer, e incluem:

 

  • Perda de apetite
  • Comer compulsivamente
  • Ansiedade
  • Choro
  • Falta de concentração
  • Acidentes domésticos
  • Cansaço, que se manifesta com exaustão física e mental
  • Tremor
  • Insônia
  • Abuso de drogas e/ou álcool

 

No caso de algum destes sinais aparecer, deve pedir ajuda a um profissional de saúde e deixar-se ajudar, colocar limites no cuidado à pessoa dependente porque, cuidar de si pode ajudá-lo(a) a estar em ótimas condições para fornecer toda a ajuda que a pessoa cuidada precisa. O melhor, portanto, é prevenir o aparecimento da doença participando ativamente nos seus próprios cuidados.

 

Para mais informação

 

Manuais

 

Páginas Web